Quatro dicas poderosas para viver bem no climatério

Quando menos se espera, o corpo feminino começa a dar indícios de que está em transformação. Ondas de calor repentinas, suores noturnos, alterações no sono, irritabilidade e mudanças de humor passam a fazer parte de uma nova rotina. São os sintomas do climatério, momento do qual não adianta fugir: chega para todas.

O climatério é o período de transição entre as fases reprodutiva e não reprodutiva. Com início por volta dos 45 anos, chega acompanhado de sintomas característicos e dificuldades na esfera emocional e social. É o estágio que antecede a menopausa, marcada pela última menstruação.

Segundo o ginecologista e obstetra Paulo Batistuta, o período ainda é cercado de dúvidas e incertezas. Uma que se destaca está relacionada à vida sexual. “Muitas mulheres no climatério chegam ao consultório preocupadas com a diminuição da libido e com o ressecamento vaginal comuns a essa fase, já que a falta de lubrificação pode causar dor e ardência durante o ato sexual”, revela.

Entretanto, o médico recorda que o problema pode ser resolvido ou, pelo menos, amenizado com o uso de hormônios, bem como de laser íntimo, uma tecnologia que regenera os tecidos genitais. O tratamento possibilita que elas recuperem a vida sexual saudável. “Mulheres que estão no climatério são as que mais procuram o tratamento com o laser. Ele ajuda a tratar a lubrificação reduzida, a fragilidade e o ressecamento vaginal e a incontinência urinária, o que ajuda a melhorar a autoestima e a vida sexual da paciente”, afirma.

Além disso, no climatério as mulheres ficam mais suscetíveis a doenças que vão desde osteoporose até depressão. “A queda dos hormônios podem aumentar o risco de doenças reumáticas e cardiovasculares. Atenção também ao desânimo excessivo, porque o momento é propício para o aparecimento de ansiedade e depressão”, alerta Batistuta.

O climatério é considerado uma etapa crítica da vida da mulher. Contudo, existem alternativas para que a fase seja vivida com mais tranquilidade. A reposição hormonal é um exemplo. A alimentação adequada e a prática de exercícios físicos também são excelentes aliadas. “Uma alimentação rica em vitaminas é fundamental para o alívio dos sintomas. Já a prática regular de exercícios físicos fortalece os ossos, os músculos e o sistema cardiorrespiratório, evita o acúmulo de gordura, controla o peso e traz a sensação de bem-estar”, recomenda.

Fonte: http://eshoje.com.br/quatro-dicas-poderosas-para-viver-bem-no-climaterio/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *