Medicamento para artrite pode acabar com a calvície

Um remédio para artrite reumatoide conseguiu reverter a calvície causada por problema autoimune


Um medicamento para artrite reumatoide pode ser a solução para acabar com a calvície. De acordo com um estudo publicado recentemente no periódico científico Journal of Clinical Investigation Insight, pacientes com alopecia areata, uma doença auto-imune que provoca a queda de pelos, incluindo o cabelo, submetidos a um tratamento com Xeljanz, prescrito para pessoas com artrite reumatoide, outra doença auto-imune, conseguiram recuperar o crescimento do cabelo.
No estudo, pesquisadores das universidades de Stanford e Yale, ambas nos Estados Unidos, prescreveram um tratamento com Xeljanz para 66 pacientes com alopecia areata. Durante três meses os participantes tomaram duas doses por dia de 5 mg do medicamento. Após esse período, mais de 50% dos pacientes apresentaram crescimento do cabelo e um terço deles conseguiu recuperar mais da metade do cabelo perdido até então. Em outro estudo, dos 12 pacientes com o mesmo problema tratados com um medicamento similar aprovado para câncer, nove recuperaram mais de 50% do crescimento do cabelo, segundo informações da rede americana CNN.
Segundo Brett King, professor assistente de dermatologia da Escola de Medicina de Yale e um dos autores do estudo, o Xeljanz parece funcionar ao frear o ataque do sistema imunológico aos folículos pilosos. Na pesquisa os investigadores conseguiram identificar também alguns genes que podem prever a resposta do paciente ao tratamento.
“Há esperança agora que temos mais o que dizer aos pacientes além de ´compre uma peruca e vá fazer terapia´”, disse o pesquisador. Apesar dos resultados, King ressalta que ainda não é possível afirmar que esse método também seja eficaz no tratamento de tipos mais comuns de calvície nem se o crescimento de cabelo nos pacientes com alopecia areata vai durar.
Mike Thomas (nome fictício) é um desses pacientes. Em meados de seus 40 anos ele foi diagnosticado com alopecia areata e em pouco tempo ficou complemente careca, perdendo até mesmo as sobrancelhas e os cílios. Para Mike, isso foi devastador. Sempre que saía na rua as pessoas olhavam para ele e perguntavam se ele tinha câncer. “Trabalho no ramo imobiliário e sou ativo na minha comunidade, mas comecei a me afastar das pessoas. Ela afeta cada parte de sua vida. Fiquei muito deprimido e foi horrível.”, contou à CNN.
Fonte: Veja Abril

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *