É difícil para o paciente que não tem cara de doente.

Não tem sido fácil, mas Deus tem me sustentado

Meu nome é Ana Paula Batista, tenho 39 anos e fui diagnosticada com Síndrome do Túnel do Carpo bilateral, Fibromialgia e Artrite Reumatoide em 2002. Mais tarde fui diagnosticada com Fenômeno de Raynaud. Tenho dedo em gatilho, artrose e já tive tendinites e bursites. A dor me limita, faço tratamento medicamentoso e tento controlar a dor com a redução de esforço e tarefas diárias. Com o tratamento apareceu a pressão alta, resistência a insulina e síndrome dos ovários policísticos. Faço atividade física quando aguento, hidroginástica, musculação, mesmo sentindo muitas dores. A inflamação atrapalha, pois causa muitas dores, dores alucinantes. E esse ano apareceram 2 nódulos na minha tireoide e vou ter que retirá-la. É difícil para o paciente que não tem cara de doente, muitas vezes sofre descrédito. Não tem sido fácil, mas Deus tem me sustentado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *