segunda-feira, 26 de março de 2018

A síndrome de Sjögren é comum e caracterizada pela secura excessiva dos olhos, boca e outras membranas mucosas


A síndrome de Sjögren é uma doença autoimune, de causa não conhecida. Ela é mais comum entre as mulheres de meia-idade. Algumas pessoas com síndrome de Sjögren também têm outras doenças autoimunes, como artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico, esclerose sistêmica, vasculite, doença mista do tecido conjuntivo, tireoidite de Hashimoto, cirrose biliar primária e hepatite autoimune crônica.
Os leucócitos se infiltram nas glândulas que secretam líquidos, como as glândulas salivares da boca e as glândulas lacrimais nos olhos, lesionando as glândulas, resultando em boca e olhos secos — os sintomas característicos dessa síndrome.

Sintomas

Em algumas pessoas, somente a boca ou os olhos ficam secos. A secura ocular pode causar sérias lesões na córnea, que resultam em uma sensação de arranhado ou irritação, e a falta de lágrimas pode causar lesões permanentes nos olhos. Saliva insuficiente na boca pode prejudicar o paladar, causar mau hálito, provocar dor ao comer ou ao engolir e pode causar cáries dentárias e cálculos de glândulas salivares. As glândulas salivares das bochechas (parótidas) aumentam e ficam discretamente sensíveis em cerca de um terço das pessoas. A boca também pode apresentar sensação de queimação, o que pode, às vezes, indicar uma infecção fúngica complicada. Pode ocorrer perda de cabelos.

Em outras pessoas, muitos órgãos são afetados

A síndrome de Sjögren pode secar as membranas mucosas que revestem o nariz, garganta, aparelho digestivo, caixa vocal (laringe), traqueia, vias aéreas dos pulmões, vulva e vagina. A secura da vulva e da vagina pode tornar a relação sexual dolorosa. A secura da traqueia pode causar tosse. Os nervos, o pulmão e outros tecidos podem ser lesionados pela inflamação.
A inflamação das articulações (artrite) ocorre em cerca de um terço das pessoas e afeta as mesmas articulações que a artrite reumatoide afeta, mas a inflamação das articulações da síndrome de Sjögren tende a ser mais leve e, geralmente, não é destrutiva.

Diagnóstico
A sensação de boca seca e olhos secos acompanhada de inflamação das articulações, aumento das glândulas salivares, lesões nervosas, certas erupções cutâneas ou problemas renais podem indicar que a pessoa tem síndrome de Sjögren.

Vários testes podem ajudar os médicos a diagnosticar essa doença e diferenciá-la de outras doenças que podem causar sintomas semelhantes.
A quantidade de lágrimas produzidas pode ser estimada através da colocação de uma tira de papel de filtro sob ambas as pálpebras inferiores e observar quanto da tira ficou úmida (teste de Schirmer). Uma pessoa que tem síndrome de Sjögren pode produzir menos de um terço da quantidade normal. Um oftalmologista pode avaliar as lesões na superfície ocular. Raramente, podem ser feitos testes mais sofisticados para avaliar a secreção das glândulas salivares e um médico pode pedir exames ou a remoção de tecido para realização de exames e testes (biópsia) das glândulas salivares.
Exames de sangue podem detectar anticorpos anormais, incluindo SS-A, um anticorpo que está presente em pessoas que têm síndrome de Sjögren. Os anticorpos antinucleares (que são encontrados nas pessoas com lúpus) e fator reumatoide (que é encontrado em indivíduos com artrite reumatoide), também podem ser encontrados em indivíduos com a síndrome de Sjögren. A velocidade de hemossedimentação (VHS), um teste que mede a velocidade em que as hemácias se depositam no fundo de um tubo de ensaio contendo sangue, apresenta-se aumentada em cerca de 70% das pessoas. Cerca de 33% das pessoas têm uma redução do número de hemácias (anemia) e até 25% das pessoas têm uma redução do número de certos tipos de leucócitos (leucopenia).

Prognóstico e tratamento

O prognóstico geralmente é bom. No entanto, se os pulmões, rins ou nódulos linfáticos forem lesionados pelos anticorpos, pode ocorrer pneumonia, insuficiência renal ou linfoma.

Não existe cura para a síndrome de Sjögren, mas os sintomas podem ser aliviados.
A secura ocular pode ser tratada com lágrimas artificiais durante o dia e pomada lubrificante durante a noite. Um colírio de venda sob prescrição contendo ciclosporina também pode ser usado​​. Protetores podem ser acoplados às laterais dos óculos, o que ajuda a proteger os olhos do ar e do vento e a reduzir a evaporação das lágrimas. Pode ser realizado um procedimento cirúrgico simples chamado oclusão punctal. Nesse procedimento, um oftalmologista insere pequenos plugues nos canais lacrimais no canto da pálpebra inferior para que as lágrimas da pessoa fiquem no olho por mais tempo.
A boca seca pode ser umedecida tomando-se goles de líquidos continuamente, mascando-se gomas de mascar sem açúcar ou usando-se enxaguatório bucal substituto de saliva. Medicamentos que reduzem a quantidade de saliva, como descongestionantes, antidepressivos e anti-histamínicos, devem ser evitados porque podem piorar a secura. A pilocarpina ou a cevimelina podem ajudar a estimular a produção de saliva se as glândulas salivares não estiverem gravemente lesionadas. Usar um lubrificante vaginal pode reduzir de forma muito eficaz a dor causada pelas relações sexuais.
Excelente higiene dental e frequentes visitas ao dentista podem minimizar a ocorrência de cáries e a perda dentária. Dor e inchaço das glândulas salivares podem ser tratados com analgésicos e compressas quentes. Os médicos podem remover os cálculos nas glândulas salivares. Visto que os sintomas nas articulações geralmente são leves, o tratamento com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) e o repouso muitas vezes bastam. Antimaláricos (como hidroxicloroquina) podem aliviar a dor nas articulações, linfonodos inchados e problemas dermatológicos. Muito raramente, pode ser usado metotrexato. Quando os sintomas resultantes de lesões nos órgãos internos são graves, podem ser administrados corticosteroides (como prednisona), ciclofosfamida ou rituximabe tomado por via oral.
A síndrome de Sjögren que ocorre com outras doenças autoimunes, como lúpus, artrite reumatoide e esclerose sistêmica, é chamada de síndrome de Sjögren secundária. Pessoas com síndrome de Sjögren secundária recebem tratamento adicional para a outra doença.

Fonte: Síndrome de Sjögren.  inserido em Manual MSD 



Participem do 2° Simpósio de Síndrome de Sjogren, dia 07 de Abril de 2018 às 09:00 hs, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524, Maracanã - Rio de Janeiro – RJ.
Médicos convidados:
Estomatologia Dra. Débora Vianna
Nefrologista Dr.Jorge Reis
Dermatologista Dra. Ericka Aguiar
Reumatologista Dra. Marcella Azevedo Borges Andrade
Dra Raquel Canabarro

Faça logo sua inscrição e não fique de fora! Link: https://goo.gl/xAn9j3



Postar um comentário