domingo, 2 de abril de 2017

Diagnóstico precoce da Artrite Reumatoide ajuda doentes a entrar em remissão


Medicamentos disponíveis permitem controlar a doença e adormecer os sintomas. 






A artrite reumatoide é uma doença inflamatória das articulações. Afeta sobretudo as mulheres e é incomum nos homens. As mãos e os pés são as áreas do corpo mais afetadas por este problema que, se não for tratado, se torna incapacitante. Mas com um diagnóstico precoce, os doentes aumentam a probabilidade de adormecerem a doença. "Como ainda não há cura para a artrite reumatoide, hoje em dia o nosso objetivo é levar os doentes à remissão. Temos medicamentos que, usados de forma atempada, conseguem deixar a doença como que adormecida. 

Num estado de remissão", explica ao CM João Dias, médico reumatologista do Centro Hospitalar do Médio Tejo. Uma vez atingida a remissão, "os doentes são seguidos na consulta de reumatologia de três em três meses para verificar se esse estado se mantém", acrescenta o especialista. Esta é uma realidade que "está ao alcance de todos os doentes, mas nem todos entram em remissão". 

Mesmo assim, há sempre benefícios a retirar destes tratamentos. "Metade dos doentes pode não conseguir entrar neste processo de remissão, mas pode ficar com uma baixa atividade da doença", clarifica João Dias, destacando: "É mais provável que os doentes que entram em remissão sejam doentes com diagnóstico precoce". Desta forma, conseguem fazer "uma vida normal". 

Segundo a Associação Nacional dos Doentes com Artrite Reumatoide (ANDAR), existem em Portugal cerca de 40 mil doentes diagnosticados com artrite reumatoide. Fumadores correm mais riscos de sofrer da doença Alguns doentes de artrite reumatoide mostram uma predisposição genética para a doença, mas há outros fatores que estão já cientificamente associados à doença. "O fator ambiental que é conhecido e que está comprovado que pode causar a doença é o tabagismo", explica ao CM João Dias, médico reumatologista. 

"As pessoas que fumam têm uma tendência muito maior de vir a desenvolver artrite reumatoide e os doentes já diagnosticados que fumam têm uma maior propensão para sofrerem de formas mais graves da doença e de mais difícil tratamento", alerta o especialista. É, por isso, importante que o vício seja excluído da rotina diária.

 A falta de tratamento pode levar à incapacidade e é comum que, em casos mais graves da doença, seja necessário avançar para cirurgias de colocação de próteses nas ancas ou nos joelhos. Permitir que a doença avance sem controlo também pode agravar as dores nas articulações, que tendem a manifestar-se com maior intensidade durante a noite, prejudicando o descanso.

Fonte: cmjornal
Postar um comentário